Balança comercial apresenta crescimento de 38,4% no agronegócio brasileiros em setembro de 2022

No mês de setembro de 2022, as vendas externas do agronegócio do Brasil somaram US$ 13,97 bilhões. Este valor é considerado recorde para os meses de setembro, com crescimento de 38,4% quando comparado aos US$ 10,09 vendidos aos demais países em setembro de 2021. Ocorreu crescimento no índice de valores nas vendas brasileiras ao exterior do agro, que aumentou 17,2% na comparação entre setembro de 2022 e setembro do ano anterior. 

Afora da elevação nos valores, o índice de quantum das vendas ao exterior apresentou crescimento de 18,1%. Em relação à ampliação do número exportado, as vendas recordes de milho em setembro, com praticamente 4.000.000 de toneladas a mais exportadas, ilustram, em grande parte, o crescimento do índice de quantum das exportações do agro brasileiro em setembro deste ano. 

É necessário ressaltar que a colheita no Brasil de milho que está sendo vendida ao exterior foi recorde, chegando a 112,8 milhões de toneladas.

O índice dos valores dos mantimentos destacados pelo Banco Mundial foi de 136,52 em setembro. Estes números indicam uma interrupção na queda dos valores dos mantimentos, o que não acontecia desde o mês de maio deste ano. 

Quando comparado ao mês de setembro do ano de 2021, os valores dos mantimentos no mês de setembro de 2022 ainda apresentam um crescimento em torno de 12%. Estes altos valores impactam de maneira significativa as vendas ao exterior realizadas pelo agronegócio do Brasil.

O índice de valores dos mantimentos da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) que trabalha no combate à fome e à pobreza, caiu 1,1% em setembro de 2022, atingindo 136,3 pontos. 

Ainda conforme a FAO, esta queda ocorreu devido à forte baixa dos valores no mercado internacional dos óleos vegetais e moderada queda nos preços do açúcar, carnes e lácteos. Apesar desta diminuição, o índice de valores dos mantimentos da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura ainda é 5,5% superior em relação ao mês de dezembro de 2021.

As compras do exterior realizadas pelo Brasil de itens agropecuários aumentaram de US$ 1,25 bilhão em setembro de 2021 para US$ 1,60 em setembro de 2022 (acréscimo de 27,8%). Também no caso das compras no exterior ocorre um acréscimo no índice de valores e quantum, 14,3% e 11,8%, concomitantemente. 

Além dos itens do agronegócio importados, ocorreu o aumento nas compras externas de diversos insumos usados na produção agropecuária. O Brasil comprou US$ 2,05 bilhões em fertilizantes em setembro de 2022. O preço foi cerca de 14% maior quando comparado com o mesmo período do ano de 2021. O volume, porém, apresentou uma queda de 22,6%. Três países ultrapassaram a marca dos trezentos milhões em fornecimento de fertilizantes ao Brasil, com destaque para o Canadá (US$ 380,48 milhões; acréscimo de 158,1%); China (US$ 319,76 milhões; aumento de 10,9%); e Rússia (US$ 308,49 milhões; diminuição de 18,7%). 

As compras no exterior realizadas pelo Brasil de defensivos agrícolas foram maiores que um bilhão de dólares em setembro deste ano. As compras de defensivos da posição 3808 foram de US$ 871,42 milhões (acréscimo de 75,1%). A ampliação do preço ocorreu em função, especialmente, do crescimento do volume comprado no exterior, que aumentou para 85,67 mil toneladas (mais 72,3%). Já as compras realizadas dos demais países de glifosato (NCMs 29314914 e 38089324) alcançaram US$ 251,83 milhões (aumento de 109,1%), com incremento de 50,8% na quantidade comprada no exterior. 

Estes produtos citados, que não constituem todos os insumos usados para a fabricação de defensivos, totalizaram US$ 1,12 bilhão em setembro de 2022.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.