Café: somos o maior produtor e o segundo consumidor do mundo!

O Brasil, maior produtor e exportador de café do mundo, se prepara para a colheita. 

A área para cultivo de café, das espécies arábica e conilon, é de 2,26 milhões de hectares neste ano e, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção brasileira de café pode chegar a 54,94 milhões de sacas de grãos beneficiados.

Conforme informações da Organização Internacional do Café (OIC), o consumo do café fica atrás somente da água.

O Brasil é o segundo maior consumidor de café do mundo, depois dos Estados Unidos, e é o maior produtor mundial de grãos. Exportou aproximadamente 2,2 milhões de toneladas em 2022, o que equivale a 39,4 milhões de sacas de café. 

As exportações foram enviadas para 145 países, com destaque para Estados Unidos e Alemanha, Itália, Bélgica e Japão.

A alta do preço do café no exterior possibilitou a exportação do produto, seja o café verde, o café solúvel e os extratos, em até 9,2 bilhões de dólares em 2022.

As plantações de café possuem forte apelo social, devido à grande concentração da produção na agricultura familiar, onde as plantas são cultivadas, é uma importante fonte de renda para as famílias, pois gera milhares de empregos, não só na produção, mas também em todo o processo industrial e comercial.

Os ciclos do café brasileiro

O café está na história do Brasil desde o século XIX, a era do império. Após o ciclo da madeira, da cana e do ouro e solo brasileiro, o ciclo do café, que durou até o século XX, foi a maior fonte de riqueza e um dos itens de vendas no exterior mais importante do Brasil.

O café chegou ao Brasil em 1727 pelo Pará e era cultivado na cidade de Belém. Nos anos seguintes, foi levado para o Maranhão e Rio de Janeiro, onde foi cultivado para consumo doméstico. 

Tendo se mudado para as terras da Serra do Mar, chegou ao Vale do Paraíba por volta de 1820, onde descobriu o rico solo de terra roxa para plantações de café. Do estado paulista, as plantações migraram para os estados de Minas Gerais, Espírito Santo e, por fim, o estado do Paraná.

O ciclo do café foi muito importante para o desenvolvimento da região Sudeste, pois, até então, o baixo e o nordeste eram as regiões mais importantes do Brasil.

No final do século XIX e início do século XX, os barões do café exerceram grande influência na política nacional, principalmente na política do “café com leite” que dividiu o poder no Brasil. 

O café tornou-se uma bebida muito comercializada em todo o mundo e o Brasil tornou-se um dos maiores exportadores mundiais de café até a crise de 1929, quando o grão deixou de ser um dos principais produtos de exportação e o Brasil perdeu sua “soberania” no campo.

O Brasil, como maior produtor e exportador mundial de café, traz cada vez mais bebidas de qualidade para os mercados do maior mercado, consumidores brasileiros e 145 países importadores.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.