Carlos César Floriano comemora recorde das exportações do agro em outubro

As vendas no exterior do agro brasileiro foram recordes para o mês de outubro, ao registrarem o valor de US$ 14,25 bilhões. O CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano, destaca que, “Quando comparada às exportações realizadas no mês de outubro de 2021, o valor subiu exatos 6,1%”, explica.

O crescimento registrado nas vendas externas foi, em especial, ocasionado pela ampliação do volume vendido no período de um ano, quando cresceu praticamente 39%. Outro fator que contribui com o expressivo crescimento foi o aumento no índice de preços internacionais que, no período, registrou o incremento de 16,1%.

O aumento das vendas e embarques de milho foram os principais motivos para o forte crescimento nas vendas aos demais países, que subiram 301,7% no mesmo período. Nos dez meses iniciais de 2022, as exportações de grãos somaram 134 milhões de toneladas, quase metade da safra brasileira de grãos, que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima em 270,9 milhões de toneladas na safra dos anos de 2021 e 2022.

No acumulado do ano de 2022, as exportações do agro do Brasil atingiram o recorde de US$ 136,1 bilhões entre os meses de janeiro a outubro de 2022, um aumento de 33% em relação aos US$ 102,35 bilhões no mesmo período de 2021. Nesse período, o setor respondeu por 48,5% das vendas totais do Brasil para o exterior.

Segundo informações de Carlos César Floriano, “Em outubro de 2022, a importação de produtos agrícolas foi de 1,43 bilhão de dólares americanos, um aumento de 2% em relação ao ano de 2021”, explica.

Setores

Em outubro, o setor da soja, considerado o principal setor de vendas no exterior do agro do Brasil, vendeu US$ 3,68 bilhões (aumento de 49,6%) em volume exportado (crescimento de 27,6%) e preços internacionais dos produtos do setor (ampliação em 17,2%). A principal venda ao exterior do setor é a soja, que atingiu o recorde de US$ 2,49 bilhões em outubro.

As exportações de carne atingiram US$ 2,28 bilhões (aumento de 50,8%). Esse valor é fortemente influenciado pelo preço médio das vendas ao exterior, que cresceu 29,9% em outubro de 2022 em relação ao mesmo mês do ano de 2021. Os volumes de vendas também expandiram, subindo 16,1 por cento.

As exportações do setor de grãos, farinhas e preparações aumentaram em termos absolutos de US$ 1,75 bilhão para US$ 2,2 bilhões. O grão que liderou o aumento foi o milho, que exportou recorde de 7,2 milhões de toneladas em outubro, ou seja, 5,4 milhões de toneladas a mais que as exportações do mês de outubro do ano de 2021.

No setor sucroalcooleiro, as exportações cresceram 90,0% entre outubro de 2021 e outubro de 2022, passando de US$ 927,54 milhões para US$ 1,76 bilhão. As vendas de açúcar foram de US$ 1,5 bilhão (aumento de 81,1%) em volume, impulsionadas pelo forte crescimento das exportações. O valor total das vendas aos demais países do setor de produtos florestais foi de US$ 1,45 bilhão (crescimento de 20,7%).

Os cinco setores destacados anteriormente respondem por 79,9% do valor total das exportações do agronegócio brasileiro.

Carlos César Floriano destaca os principais destinos das vendas brasileiras no exterior

A Ásia foi a região geográfica que mais importou os produtos do agro do Brasil. Em outubro do ano de 2022, a Ásia comprou US$ 6,83 bilhões em itens do agronegócio brasileiro, um aumento de 71,0% em relação aos US$ 3,99 bilhões exportados em outubro do ano de 2021. As vendas para o país asiático, maior parceiro de negócios do agronegócio brasileiro, subiram 81,8%, para US$ 4,06 bilhões, em outubro deste ano.

“A União Europeia e o continente asiático, quando somados, representam 64,2% do valor dos produtos do agronegócio comercializado no exterior pelo Brasil no mês de outubro”, explica Carlos César Floriano.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.