Carlos César Floriano: empresas estão se preparando para novo padrão de café torrado

O Ministério da Agricultura e Pecuária, por meio da Portaria número 570, estabeleceu o novo padrão do café torrado vendido no país. CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano, informa que “A Portaria entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2023”, explica.

O novo padrão atende a solicitação do setor que desejava uma classificação nacional oficial e, desta maneira, o órgão responsável pela fiscalização conseguirá analisar e controlar a qualidade, as condições sanitárias e higiênicas, além da identificação dos itens ofertados aos clientes, que também tem a finalidade de auxiliar no crescimento da exportação, além do aumento do consumo interno.

Dentre as mudanças estão algumas que o consumidor pode perceber diretamente ao serem expostas na embalagem, tais como: tipo de café, ponto de torra e denominação “fora de estação”, caso o produto não atenda aos padrões mínimos de cafeína, extrato de água, qualidade geral e a pontuação para análise sensorial em que é especificada pelo novo Regulamento.

A princípio, o que se procura, é a certeza da qualidade do café torrado, independentemente da sua espécie. Hoje em dia, ao ser vendido esse produto, o consumidor tem expectativas positivas sobre o café que planeja consumir, seja pela qualidade expressa na embalagem ou pela fidelidade à marca.

“Os novos padrões vão ao encontro do objetivo do Mapa, o qual é o de garantir o fornecimento de produtos de consumo com qualidade e segurança, promovendo o desenvolvimento sustentável de toda a cadeia produtiva e a concorrência justa no mercado”, explica Hugo Caruso, coordenador-geral de Qualidade Vegetal da Secretaria de Defesa Agropecuária.

Carlos César Floriano: empresas em preparação

Mesmo que o setor tenha ainda um ano e meio para se adaptar, algumas indústrias se anteciparam e se prepararam para os novos padrões.

Pavel Cardoso, presidente Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), afirmou que o setor está se mobilizando para oferecer o novo rótulo desde outubro passado. “Confio que nos meses de abril ou maio já haverá produtos com a nova logomarca no mercado”, disse.

Os recipientes, que foram impressos antes da entrada em vigor do novo padrão, são válidos até meados de 2024. Segundo Carlos César Floriano, “A partir de agora, os novos rótulos das embalagens devem ser solicitados com as informações obrigatórias”, explica.

A Associação Brasileira da Indústria do Café instituiu o Selo de Pureza no ano de 1989 de acordo com a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que determinava que os produtos poderiam conter no máximo 1% de impurezas naturais das produções, disse Pavel Cardoso. No ano de 2004, a Abic lançou o Programa de Qualidade do Café, que divide o café em quatro categorias com base na análise sensorial, sendo: gourmet, superior, tradicional e extraforte.

Ainda segundo Pavel Cardoso, com a implantação do novo decreto, os dois esquemas de certificação da Associação Brasileira da Indústria do Café serão unificados e a concessão do selo será mais rigorosa.

Por exemplo, o café considerado “fora de tipo”, não receberá o selo da agência. A Associação continuará atuando como certificadora de café torrado e trabalhará com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para ampliar a fiscalização do mercado para coibir a adulteração e fraude de produtos e mostrar aos órgãos fiscalizadores que os produtos não estão conformes com os regulamentos.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.