CEO do Grupo VMX, Carlos Cesar Floriano vê positiva a cooperação entre Brasil e Argentina no setor agropecuário

CEO do Grupo VMX Carlos Cesar Floriano vê positiva a cooperação entre Brasil e Argentina no setor agropecuário

Acordo assinado neste mês envolvendo os dois países foi bem avaliado pelo diretor-executivo para a exportação de produtos

O CEO do Grupo VMX, Carlos Cesar Floriano, avaliou de maneira positiva a assinatura de cooperação firmada, no último dia 14/02, entre Brasil e Argentina para a exportação e diversificação de produtos do setor do agronegócio envolvendo os países.

“Esta parceria foi muito bem construída, uma vez que os representantes argentinos e brasileiros se uniram na prioridade do setor agrícola, desburocratizando e firmando a pluralidade para que as idas e vindas de produtos sejam feitas de maneira mais célere”, destacou o diretor-executivo Floriano.

Entre os temas acordados está a aprovação pela Argentina do modelo de Certificado Sanitário Internacional (SCI) para exportação de carne de rã do Brasil para o país vizinho. Também foi aprovado o modelo de Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) para a exportação de sêmen suíno do Brasil para a Argentina.

Por outro lado, o Brasil aprovou o modelo de CZI proposto pelos argentinos para a exportação de bovinos reprodutores da Argentina para o Brasil.

Em 2019, o Brasil exportou o valor de US$ 18,579 bilhões. Os produtos mais comercializados foram Soja, Petróleo, Minério de ferro, Celulose, Milho, Carne de bovino, Carne de frango, demais produtos manufaturados, Farelo de Soja e café.

Ao todo, se registrou, um crescimento de 9,1% nas exportações realizadas no Brasil. Foi um dos melhores resultados das Exportações Brasileiras, de acordo com dados do Ministério da Economia.

Em janeiro deste ano, das 647,8 mil toneladas de trigo que o Brasil importou, segundo a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), 615,5 mil toneladas do cereal tiveram origem na Argentina.

Os argentinos já lideraram as exportações mundiais de carne bovina no período da década de 1970. O país possui ricos recursos naturais, uma população altamente alfabetizada, um setor agrícola orientado para a exportação e uma base industrial diversificada.

A indústria é o maior setor único na economia do país (19% do PIB) e está bem integrado à agricultura argentina, sendo que metade das exportações industriais do país são de natureza agrícola.

Primeira etapa será importante, aponta Carlos Cesar Floriano

A reunião ocorreu em Brasília, e um dos itens destacados foi a aprovação pela Argentina do modelo de Certificado Sanitário Internacional (SCI) para exportação de carne de rã do Brasil para o país vizinho. Também foi aprovado o modelo de Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) para a exportação de sêmen suíno do Brasil para a Argentina.

“A discussão foi fundamental porque destravou temas que estavam há tempos e será importante para ambos, inclusive para a diversificação de produtos”, comentou CEO do Grupo VMX, Carlos Cesar Floriano.

Os dois países acordaram que será enviada uma missão do Brasil para a Argentina até o dia 10 de julho para realizar auditorias de manutenção para carne bovina, lácteos e pescado.

No mesmo prazo, a Argentina deverá enviar uma missão para o Brasil para auditar produtos cárneos bovinos e fazer visita in loco sobre compartimentação na área de aves e sobre escaravelho das colmeias.