Conab divulga 6º Boletim Prohort com queda nos preços das hortaliças

Conab divulga 6º Boletim Prohort com queda nos preços das hortaliças

Os preços de hortaliças e frutas apurados em maio pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) são uma boa notícia para o consumidor brasileiro. Conforme publicado no 6º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) e revelado pela estatal na quarta-feira, 15 de junho de 2022, a principal tendência de preços do tomate, alface, cenoura e batata é que a maior parte da oferta está caindo, pois, no dia 9 de junho, também fez com que os preços de mercado caíssem em alguns estados, conforme aponta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

Segundo o Boletim, a principal razão para os preços estarem mais acessíveis é o crescimento da disponibilidade destas hortaliças, especialmente a batata, que aumentou a oferta em cerca de 13% e os preços caíram pela primeira vez este ano. O abastecimento do mercado continuou sendo realizado principalmente pelos estados do Paraná, Minas Gerais e a Bahia, com foco no abastecimento do último estado, que cresceu 110% quando comparado ao mês de abril.

Em algumas Ceasas, os preços já caíram em junho, principalmente devido ao crescimento ou próximo do aumento da produção local. Por exemplo, no mercado da cidade de Juazeiro, no estado da Bahia, o preço médio do mês foi 7% inferior ao preço médio de maio. Na Ceasa do Distrito Federal, em Brasília, os preços dos tubérculos ficaram 40% abaixo da média de maio, influenciados pelo crescimento da safra goiana, que se concentra em pequenas áreas no entorno de Brasília, principalmente na cidade de Cristalina/GO. 

A tendência de alta do tomate foi revertida, pois, a oferta cresceu em torno de 15% em quase todos os estados produtores, levando a uma diminuição expressiva nos preços finais na maioria dos mercados analisados no mês passado. Vitória/ES (46%) e Rio de Janeiro (39%) tiveram quedas particularmente acentuadas, com preços médios de 4,31 reais e 4,46 reais o quilo. As cenouras também caíram mais de 40% em maio, após subir nos primeiros três meses do ano. Isso ocorreu pelo crescimento da oferta em cerca de 25% com relação ao mês de abril, influenciando para a queda nos preços, especialmente na cidade de Brasília/DF (58%), com a cenoura sendo vendida a 3,94 reais em média e, na cidade de Curitiba, estado do Paraná, (53%) com cotação em 2,37 reais o quilo. 

Embora os preços da maioria dos vegetais tenham sido bons, a maior parte importada e a oferta decrescente de cebolas continuaram sua convergência para a alta no mês de maio. Mas, já eram apontadas mudanças para junho, pois o novo quadro de oferta nacional deve permanecer no mercado até o final do ano, e os preços caíram na maioria dos mercados desde o início do mês. Na Ceagesp, na cidade de São Paulo, a diminuição nos preços foi em torno de 11% em relação à média de maio. Na Ceasa de Alagoas caíram 25%, enquanto na Ceasa de Minas Gerais e do Rio de Janeiro caíram aproximadamente 15%. 

Frutas – O Boletim Prohort também demonstrou que, em maio, a laranja e a maçã não apresentaram desempenho uniforme entre as frutas analisadas, enquanto banana, mamão e melancia apresentaram tendência de diminuição nos preços. Brasília/DF (35%) e Recife/PE (19%) apresentam percentuais negativos, com bananas vendidas a 3,64 reais e 1,70 reais o quilo. Quando o assunto é o mamão, Brasília/DF (39%) e Goiânia/GO (19%) apresentaram as maiores quedas, com preços médios de 4,74 reais e 3,47 reais o quilo, respectivamente. 

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.