Conab estima que o crescimento na safra 2022/23 será de 5,4% 

Conab crescimento na safra Carlos César Floriano

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou, na quinta-feira, 7 de abril de 2022, a sétima estimativa da safra de grãos para a safra 2021/22 que indicou que a produção total de grãos do país pode chegar a 269,3 milhões de toneladas, representando aumento de 5,4% ou mais que a safra 2020/21, o que apresenta um crescimento de 13,8 milhões de toneladas. Entretanto, em relação ao primeiro levantamento da safra atual da empresa, que estava previsto em 288,6 milhões de toneladas, a produção foi reduzida em 6,7% ou 19,3 milhões de toneladas devido às condições climáticas adversas. 

Guilherme Ribeiro, presidente da Conab, disse que “Os resultados até o final desta safra vão depender muito do comportamento do clima, que é um fator importante no desenvolvimento cultural” e, ainda informou que, “Entre março e abril, o plantio da segunda safra no Brasil estava quase concluído, onde o destaque é a plantação do milho. As chuvas foram mais regulares em toda a região produtora, inclusive no sul do país, o que permitiu o plantio em boas condições de umidade. O produtor fez sua parte. Agora vamos esperar pelo clima”, esclarece.

Nos resultados de cada safra, a produção de soja está prevista em 122,4 milhões de toneladas, queda de 11,4% em relação à safra anterior. “Boas chuvas em quase todo o país ajudaram a recompor uma pequena parcela das lavouras tardias nas Regiões do Sul e no Mato Grosso do Sul, mas não reverteram às quedas de produtividade já anunciadas em levantamentos anteriores”, explica o diretor de Informações Agropecuárias e Políticas Agrícolas da Conab, Sergio De Zen. “O Rio Grande do Sul continua sendo o estado mais afetado pela escassez de água, seguido pelo Paraná e Mato Grosso do Sul. Ao contrário, a maioria dos outros estados conseguiu produtividades superiores às obtidas na última safra, com destaque para o Piauí, com rendimento positivo de 12,7%. No entanto, a queda na produção do país foi amenizada principalmente pelo aumento de 4,1% da área semeada, alcançando 40,8 milhões de hectares nesta safra”.

Para o milho, a produção deverá ficar em 115,6 milhões de toneladas, 32,7% acima do ciclo anterior. Os grãos da 1ª safra foram colhidos mais cedo, a 2ª safra foi principalmente de desenvolvimento e a 3ª safra foi semeada a partir da segunda semana de abril. Para a safra 2021/22, a Conab destacou que, apesar do aumento da produção total, é importante registrar forte queda de 20,4% na produtividade da região Sul na primeira safra, fato que levou a uma redução de até 15,6% de produção da região. “Isso se deve à grave escassez de água provocada pela falta de chuvas no sul do país no final de 2021 e início de 2022”, esclarece a superintendente de Informações da Agropecuária, Candice Santos. “Por outro lado, vale ressaltar que a Conab está projetando um aumento de 36,3% na produção de milho da segunda safra, pois isso elevará a produção do cereal da segunda safra para 88,5 milhões de toneladas”, avisa.

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.