Congresso Internacional do setor do trigo reúne agricultores do Brasil e de vários países

Congresso Internacional do setor do trigo reúne agricultores do Brasil e de vários países

Realizado anualmente pela Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO), o 29º. Congresso Internacional da Indústria do Trigo reuniu, entre os dias 25 a 27 de setembro de 2022, na cidade de Foz do Iguaçu, no estado do Paraná, os principais empresários e executivos dos setores relacionados com a produção, moagem, derivados do trigo, dentre outras atividades relacionadas ao grão.

No Congresso, também foram destaques os workshops, palestras, feira de exposição onde foram apresentados os lançamentos mais recentes para o mercado do grão do trigo, além da abordagem de assuntos relevantes para o agro, tais como, as intenções de consumo, as normas e a saudabilidade, ou seja, mudança de hábitos alimentares para mais qualidade de vida, mais saúde e um melhor funcionamento do organismo, entre outros temas.

Marcos Montes, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante a cerimônia de encerramento do Congresso Internacional realizado pela ABITRIGO, enfatizou a meta de contribuir para o crescimento e fortalecimento da extensa cadeia que envolve o trigo, seja aqui no país, bem como, ao redor do mundo onde o grão também é cultivado.

Durante a cerimônia, o ministro do Mapa, Marcos Montes, destacou que, devido aos investimentos em inovações e pesquisas, a produção no Brasil é destaque com o auxílio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O ministro disse, ao site oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que a média atual no Brasil é de uma produção de 2,8 toneladas por hectare.

Em determinadas regiões e situações, alguns produtores já estão conseguindo colheitas de até 9 toneladas por hectare. “Achamos o caminho para produzir trigo, o que nos levará a autossuficiência e também aumentar a exportação”, explicou ao site do Mapa o ministro Marcos Montes.

Estima-se que o país atingirá essa meta em uma década. Uma das frentes para alcançar a autossuficiência é expandir a área do Cerrado para 1 milhão de hectares de trigo em sistema irrigado e outros 2,5 milhões de hectares em sistema de sequeiro. De acordo com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, isso representa um acréscimo de 4 milhões de toneladas de alimentos para o Brasil.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) pesquisou e elaborou quatro variedades resistentes ao clima e às chuvas do Brasil. “O país avançou com sucesso em três pilares no cultivo brasileiro de trigo: primeiro, conquistamos o Cerrado, transformando solos agrestes em terras férteis. Depois, desenvolvemos uma plataforma de produção sustentável com plantio direto, com o controle biológico e fixação biológica de nitrogênio. Terceiro pilar, a cadeia do cereal, que representa essa capacidade dos produtos brasileiros, é a tropicalização do trigo”, disse ao site oficial do Mapa Celso Moretti, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

Em 2022, a área de terra arável nas regiões centro e oeste deverão atingir 84 mil hectares, com uma produção prevista de 200 mil toneladas.

O trigo

Para a safra dos anos de 2021/2022, a produção avaliada até o momento é que serão colhidos 9,4 milhões de toneladas de trigo em 290,6 mil hectares (aumento de 10,6%), segundo o 12º Levantamento de Grãos publicado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

No Brasil o consumo é de cerca de 13 milhões de toneladas de trigo por ano entre uma vasta variedade de produtos, tais como, massas, pães, bolos, dentre outros. Quase 60% do consumo do trigo são atualmente importados.

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.