Desvendando o papel do Ministério da Agricultura na Pecuária sustentável do Brasil

Desvendando o papel do Ministério da Agricultura na Pecuária sustentável do Brasil

A contribuição da pecuária para a economia e a vida cotidiana dos brasileiros é inegável, e o Brasil se destaca no cenário mundial. Com mais cabeças de gado do que pessoas, o setor pecuário desempenha um papel importante no abastecimento de alimentos e na geração de renda. “No dia 14 de outubro foi celebrada a Pecuária Nacional, destacando seu vigoroso crescimento em 2022, com um aumento de 2,1% e um impressionante valor de produção de R$116,3 bilhões”, destaca Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX. 

Conheça as ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em busca de práticas sustentáveis, seu compromisso com o bem-estar animal e como o Brasil lidera as exportações de carne.

O Brasil não é apenas um gigante na produção de carne bovina e de frango, mas também um líder no mercado global. 

No ano de 2022, o país alcançou a posição de maior exportador de carne bovina e de frango, enviando mais de US$ 25 bilhões em carnes. 

Conforme informações de Carlos César Floriano, “Até agosto de 2023, já foram exportados mais de US$ 15 bilhões para 190 países, incluindo suínos, equinos, ovinos e caprinos”, diz. 

O impacto desse sucesso se estende a outros setores, já que os produtos pecuários representam 29,6% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) em 2023.

Produção sustentável:

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento desempenha um papel fundamental na busca por uma pecuária mais sustentável. 

Um exemplo notável é o Plano de Agricultura de Baixo Carbono (ABC), que esteve ativo de 2010 a 2020, visando a redução das emissões de gases de efeito estufa por meio de práticas e tecnologias sustentáveis. 

Em 2021, o Plano ABC+ estendeu esse compromisso até 2030, triplicando as metas de mitigação de gases de efeito estufa.

Outra abordagem sustentável envolve sistemas integrados, como o sistema lavoura, pecuária e floresta. Incorporando árvores no sistema de produção animal, o componente arbóreo captura carbono, ao mesmo tempo, em que fornece sombra aos animais, aumentando sua produtividade. 

Os sistemas agroflorestais permitem aos produtores diversificar suas fontes de renda.

Carlos César Floriano e as boas práticas na produção animal:

Além de sua busca por práticas sustentáveis, o Ministério da Agricultura promove rigorosas diretrizes de bem-estar animal e segurança alimentar. 

Por meio da coordenação de Saúde Única e Boas Práticas, o Mapa se dedica a prevenir, controlar e erradicar zoonoses, bem como a garantir alimentos seguros, livres de resíduos e contaminantes.

O compromisso com a saúde animal abrange diversas áreas, como vigilância em saúde dos animais silvestres, resistência antimicrobiana e segurança dos alimentos. 

Destaca-se a Instrução Normativa Nº 56, que estabelece as Recomendações de Boas Práticas de Bem-Estar para Animais de Produção e de Interesse Econômico. Para a suinocultura, a Instrução Normativa Nº113/2020 estabelece boas práticas e bem-estar animal para suínos de criação comercial.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em sua constante busca por inovação e sustentabilidade, está desempenhando um papel fundamental na transformação da pecuária brasileira em um modelo mais eficiente, sustentável e ético. 

“À medida que celebramos a Pecuária Nacional, é evidente que o setor está em boas mãos, liderando o caminho em práticas sustentáveis e no mercado global de carne”, explica Carlos César Floriano.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.