Estimativa que cerca de 73 milhões de animais sejam vacinados contra a febre aftosa na primeira etapa em 2023

No dia 1º. de maio de 2023 iniciou a primeira etapa da campanha nacional brasileira da vacinação contra a febre aftosa, que acontecerá em 14 estados do Brasil. Está previsto o término desta fase no dia 31 de maio do mesmo ano.

A estimativa é que cerca de 73 milhões de animais, entre bovinos e bubalinos de qualquer idade sejam imunizados por meio da vacinação.

Os estados em que inicialmente a população de bovinos e bubalinos serão vacinados são os seguintes: Alagoas, parte do Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e São Paulo. A vacinação seguirá o calendário brasileiro.

Os criadores deverão comprar as vacinas apenas nos estabelecimentos autorizados e as mesmas devem ser mantidas em temperaturas entre 2°C e 8°C, desde a compra até o local da aplicação e imunização do animal.

Para a aplicação da vacina contra a febre aftosa, devem ser utilizadas sempre agulhas novas e a dose a ser utilizada em cada animal é de 2 ml. A vacina deve ser aplicada na “tábua do pescoço”, sempre nas horas menos quentes do dia na região.

O criador também deve igualmente informar o órgão de defesa sanitária animal de seu estado a realização da vacinação, conforme os prazos amplamente divulgados em cada estado do Brasil.

Compreendendo sobre a febre aftosa

A febre aftosa é uma doença viral altamente contagiosa que afeta animais de casco fendido, como bovinos, ovinos, caprinos e suínos. 

Ela causa feridas dolorosas na boca, no nariz e nos pés dos animais infectados, o que pode levar à perda de peso, produção de leite reduzida e, em casos graves, à morte. 

Além disso, a febre aftosa é um grande problema econômico, pois pode causar restrições às exportações de carne e produtos de origem animal.

A doença pode ser transmitida por meio do contato direto entre animais infectados ou por meio de produtos animais contaminados, como carne e leite. 

A prevenção é a melhor maneira de combater a febre aftosa, e isso pode ser feito por meio de medidas de biossegurança, como a vacinação dos animais e o controle rigoroso da movimentação de animais e produtos de origem animal. 

A erradicação da febre aftosa é uma prioridade global, e muitos países têm trabalhado para controlar e erradicar a doença, com sucesso em muitas regiões do mundo.

No Brasil, a febre aftosa é uma preocupação constante, e o país tem uma das maiores populações de gado bovino do mundo. 

O governo federal brasileiro tem investido em programas de vacinação e controle da movimentação de animais e produtos de origem animal para prevenir a propagação da doença. 

No ano de 2020, o país se tornou livre da febre aftosa com vacinação, o que permitiu que muitas regiões produtoras de carne bovina tivessem acesso a mercados internacionais mais exigentes. 

Ainda assim, a vigilância constante é necessária para evitar a reintrodução da doença e garantir a saúde do rebanho brasileiro.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.