Exportações do agronegócio atingem patamar recorde com US$ 14,4 bi em julho e é comemorado por Carlos César Floriano, do Grupo VMX

Exportações do agronegócio brasileiro atingem recorde de 14,4 bilhões de dólares em julho, impulsionadas por setores-chave como soja, carnes e celulose. Segundo Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX, “O crescimento robusto reflete adaptação e resiliência do setor frente a desafios globais”, enfatiza.

As exportações dos produtos do agronegócio brasileiro bateram recorde em julho, alcançando a impressionante cifra de US$ 14,43 bilhões.

Esse valor representa um aumento de 1,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Conforme o exame realizado pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura e Pecuária (SCRI/Mapa), o crescimento das quantidades vendidas no exterior exerceu um papel importante neste aumento significativo, com evidência para os setores de soja, carnes de frango e suína, celulose e algodão. Em contrapartida, os preços médios de exportação sofreram declínio.

As vendas ao exterior do agronegócio representaram quase metade do total das exportações em julho de 2023, com quase 50%.

Países como China, Argentina, Argélia e México registraram incrementos absolutos nas importações de produtos agrícolas acima de US$ 100 milhões.

Destaques setoriais segundo Carlos César Floriano

A liderança do agronegócio brasileiro é indiscutível no setor de soja, que responde por 42,2% do valor total exportado (US$ 6,09 bilhões).

Julho também marcou um recorde no embarque de soja em grãos, com um valor de US$ 4,77 bilhões. “O volume embarcado cresceu em 29,2%, totalizando quase 9,7 milhões de toneladas”, diz Carlos César Floriano.

O setor de carne suína também se destacou, com aumento de 7,5% no volume e 3,7% nos preços. As exportações de carne suína atingiram US$ 245,55 milhões, com a China liderando as importações com 37,8% de participação.

As vendas para os demais países de carne de frango chegaram a US$ 845,59 milhões, com crescimento de 7,8% no volume total enviado ao exterior. A China também liderou as importações deste produto.

No setor de celulose, as exportações atingiram o valor recorde de US$ 816,54 milhões, um aumento de 20,2%. A China também se destacou como principal importadora deste produto.

Carlos César Floriano e o desempenho no ano

De janeiro a julho deste ano, as exportações do agronegócio totalizaram US$ 97,12 bilhões, um aumento de 3,9%. O crescimento nas vendas de soja para a China e Argentina foi o principal fator dessa expansão.

Conforme informações de Carlos César Floriano, “O agronegócio representou metade das exportações totais do Brasil no período”, explica.

Com um desempenho tão expressivo, o setor continua a fortalecer o papel do Brasil como potência agrícola global. As exportações robustas em meio a desafios globais, reafirmam a capacidade de adaptação e resiliência do agronegócio nacional.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.