Iniciativas de sustentabilidade no agronegócio brasileiro recebem atenção do Banco Mundial

O encontro realizado em Brasília entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Banco Mundial teve como objetivo apresentar projetos de sustentabilidade para o setor agropecuário. 

A reunião, realizada na quarta-feira, 10 de maio de 2023, abordou propostas de financiamento que visam intensificar a produção de alimentos por meio de práticas de sequestro de carbono e combate ao desmatamento.

O diretor do Banco Mundial para o Brasil, Johannes Zutt, expressou o interesse em apoiar o Mapa no desenvolvimento sustentável da agropecuária e no fomento de inovações agrícolas.

Um dos destaques foi a iniciativa do Ministério da Agricultura para a conversão de até 2 milhões de hectares de pastagens de baixa produtividade por ano. 

A proposta aumentará a área de plantio no Brasil sem a necessidade de desmatamento, integrando lavoura e pasto, além de aplicar práticas orgânicas no solo e promover o sequestro de carbono.

Nesse sentido, o Mapa busca o apoio financeiro do Banco Mundial, para oferecer linhas de financiamento especiais aos produtores rurais interessados em investir nessa iniciativa. Além disso, foi apresentada a base do novo Plano Safra, que será lançado no próximo mês. 

Esse plano é fundamentado na oferta de taxas de juros mais favoráveis e/ou aumento do limite de crédito, considerando o compromisso dos produtores com os direitos trabalhistas e sociais dos trabalhadores rurais, capacitação, adoção de defensivos biológicos em substituição aos químicos por hectare de plantio e o sequestro de carbono.

Exemplos de projetos de sustentabilidade 

No cenário atual, a busca por práticas sustentáveis tem se tornado cada vez mais relevante em todos os setores da economia, incluindo o agronegócio. 

O Brasil, reconhecido mundialmente como uma potência agrícola, demonstra um compromisso crescente com a sustentabilidade, implementando projetos inovadores que visam conciliar o desenvolvimento do setor com a preservação do meio ambiente. 

Seguem alguns exemplos inspiradores de projetos de sustentabilidade no agronegócio brasileiro, que impulsionam a produção agrícola de forma responsável e eficiente.

Agricultura de baixo carbono

Um dos grandes desafios do agronegócio é reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Nesse sentido, o projeto de Agricultura de Baixo Carbono tem se destacado. 

Por meio de práticas como o manejo integrado de culturas, o uso de adubos orgânicos, a rotação de culturas e o plantio direto, produtores rurais têm conseguido reduzir significativamente a emissão de CO2, além de melhorar a qualidade do solo e aumentar a produtividade.

Uso inteligente de recursos hídricos

A escassez de água é uma preocupação global, e o agronegócio desempenha um papel crucial nesse contexto. 

No Brasil, destacam-se projetos que promovem o uso inteligente e sustentável dos recursos hídricos. 

Sistemas de irrigação de alta eficiência, captação e reutilização de água da chuva, além da implementação de técnicas de manejo que reduzem a necessidade de irrigação, têm sido adotados por produtores rurais comprometidos com a sustentabilidade. 

Agrofloresta e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF)

A busca por sistemas de produção que conciliem a atividade agrícola com a preservação da biodiversidade tem levado muitos produtores rurais a adotarem a agrofloresta e a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). 

Esses projetos promovem a diversificação das atividades no campo, combinando cultivos agrícolas, criação de animais e preservação de áreas florestais. 

Além de reduzir os impactos ambientais, esses sistemas têm se mostrado altamente produtivos e lucrativos, demonstrando que é possível aliar desenvolvimento econômico e sustentabilidade.

Energias renováveis

A adoção de fontes de energia renováveis é outra tendência importante no agronegócio brasileiro. 

Produtores invstem em sistemas de energia solar, eólica e biomassa para suprir suas demandas energéticas, assim, reduzem a dependência de combustíveis fósseis e essas soluções sustentáveis contribuem para a redução dos custos de produção e proporcionam autonomia energética às propriedades rurais.

Manejo integrado de pragas

A redução do uso de defensivos químicos é uma prioridade para o agronegócio sustentável. Nesse sentido, o manejo integrado de pragas tem se mostrado uma alternativa eficiente e sustentável. 

Por meio da combinação de métodos de controle biológico, uso de feromônios, rotação de culturas e monitoramento constante, produtores têm conseguido controlar pragas de forma mais sustentável e reduzir o impacto ambiental dos agroquímicos.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.