Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento desenvolve sistema para identificar pragas da cultura do cacau

MAPA desenvolve sistema para identificar pragas do cacau

A semana de 22 de agosto de 2022 foi marcada pelo lançamento do Sistema de Identificação das Pragas do Cacaueiro por meio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Essa inovação ajudará os agricultores tradicionais, cultivadores familiares e companhias agropecuárias, indústrias, associações e cooperativas de cacau a identificarem antecipadamente as doenças que podem atrapalhar as cadeias produtivas do cacau.

O princípio é um padrão respeitável na atualização da tecnologia aplicada, pois trabalhará de maneira digital, promovendo a retransmissão de áudio, imagem e vídeo da plantação ou da fruta. Graças à nova tecnologia, os pesquisadores da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira conseguirão verificar por meio dos documentos enviados pelos agricultores e analisar as informações, fazer o diagnóstico mais preciso e até deslocar-se ao local para inspeção, se indispensável.

Outra benfeitoria do sistema é que o agricultor não precisa se deslocar até um das unidades da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira ou encaminhar amostras dos materiais infectados, o que traz mais contenção de gastos e velocidade ao procedimento, impedindo a disseminação de doenças em outros plantios, o que proporcionará mais garantia para os plantadores de cacau.

Conforme o diretor da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira, Waldeck Araújo Jr, o preceito auxiliará a proteger toda a safra brasileira de cacau. “O sistema atenderá de forma rápida as dificuldades específicas dos agricultores. A análise veloz permitirá que atos adequados e oportunos para extirpar e prevenir a propagação de pragas e doenças nas culturas de cacau”, disse ao site oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Este novo Sistema está acessível no Governo Federal do Brasil por meio de seu Portal de Serviços.

Atenções para a conservação

Pragas são executores biológicos, sejam eles microrganismos ou insetos, que causam danos às lavouras, causando de 10% a 40% das perdas na produção do agronegócio brasileiro e mundial. Em específico, quando o assunto é o cacau, as fundamentais doenças que afetam o produto agrícola global são: podridão parda (35%), vassoura-de-bruxa (20%), brotos inchados por vírus (16%), etc.

Karina Gramacho, pesquisadora da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira na Bahia, destacou a relevância de desenvolver programas rigorosos de biossegurança, como novos sistemas, para que as pragas se mantenham afastadas das propriedades rurais ou manejá-las para impedir a dispersão e propagação, evitando que se espalhem para as demais terras dos produtores.

Biossegurança deve ser entendida como as ações necessárias para a precaução e o domínio de pragas. Em uma demonstração ao vivo do sistema, foram apresentadas as principais vantagens de aderir a esse mecanismo preventivo: impedir a admissão de doenças que não existem atualmente no Brasil; a disposição de reprimir e reduzir as pragas que já estão atualmente no território brasileiro; e a redução da perda na produção, entre demais benefícios.

A propagação de pragas às árvores de cacau pode ser através da movimentação de calçados e vestimentas, os mais variados tipos de veículos, instrumentos e aparelhos, insetos e plantas infectadas.

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.