Com atuação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, valor de vendas externas da piscicultura dobrou até junho deste ano

MAPA vendas externas da piscicultura dobrou até junho deste ano

Em 31 de agosto de 2022, durante a abertura da 4ª. Edição do International Fish Congress & Fish Expo Brasil (IFC), considerado um dos principais eventos mundiais relacionados ao setor aquícola, na cidade de Foz do Iguaçu, estado do Paraná, Marcos Montes, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ressaltou que um dos objetivos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é conseguir novos compradores externos para o pescado do Brasil.

“O objetivo do Governo federal do Brasil é iniciar novos mercados para que vocês consigam oferecer nossos itens no exterior, com qualidade, sustentabilidade e geração de empregos. Temos a responsabilidade de manufaturar mantimentos em abundância e qualidade para combater esse espectro que nos assombra, a insegurança alimentar”, afirmou ao site oficial do Mapa.

Segundo o Boletim do Comércio Exterior da Piscicultura, desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as exportações de pescado do Brasil dobraram de valor de janeiro a junho deste ano, aumentando 14%, totalizando em US$ 14 milhões e cerca de 5.000 toneladas.

“Devemos demonstrar no exterior que nosso pescado é sustentável e benéfico. Temos muito a oferecer aos demais países”, adicionou o ministro.

Além de trabalhar para reabrir o comércio com a Europa para o pescado produzido no Brasil, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vem trabalhando com comissários agrícolas para avaliar o potencial do produto no mercado mundial, disse Jairo Gund, Ministro de Aquicultura e Pesca do Mapa.

“Os empresários do Brasil ainda não descobriram todo o seu potencial. Com estes dados, desenvolveremos um plano de ação com a iniciativa privada para abrir esses mercados em específico, com grande valor agregado e benefícios para a indústria brasileira.”, disse ao site do Mapa.

Em 2020, em todo o território nacional brasileiro, foi produzido cerca de 630 mil toneladas de pescado por meio da aquicultura, um aumento de 5% em relação ao ano de 2019, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, sigla do inglês Food and Agriculture Organization). O Brasil ocupa atualmente o 13º lugar no ranking no mundo em produção aquícola.

Conforme a International Fish Congress & Fish Expo Brasil (IFC), a aquicultura do Brasil é significativa nacional e globalmente. Crescendo a uma taxa anual de 10%, com 1 milhão de famílias pesqueiras e 300.000 aquiculturas, essa atividade gera 16.000 postos de empregos diretos e indiretos na indústria de processamento.

A International Fish Congress & Fish Expo Brasil contou com a presença de mais de 2.000 participantes dos congressos e mais de 100 expositores e palestrantes de 15 países. A exposição, finalizada em 2 de setembro de 2022, reuniu produtores, acadêmicos, profissionais, empresários e entidades do setor aquícola.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentou na International Fish Congress & Fish Expo Brasil diversas tecnologias do setor, incluindo um serviço de identificação do sexo do pirarucu e do tambaqui para ajudar na formação de viveiros.

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.