Mesmo sem casos registrados no Brasil, estado de São Paulo implementa ações contra a gripe aviária

A influenza aviária é uma doença viral altamente contagiosa que pode afetar aves domésticas e selvagens, bem como outros animais. O Brasil, como um dos maiores produtores de aves do mundo, enfrenta um grande desafio na prevenção e controle da doença. 

Em São Paulo, um dos principais estados produtores de aves, conjuntos de esforços estão sendo feitos para prevenir a influenza aviária e educar os profissionais da indústria aviária sobre medidas de biossegurança.

O estado de São Paulo possui mais de 300 empresas no setor de reprodução aviária, especialmente com fazendas comerciais de postura concentradas em Bastos e Guatapará, e produção de aves em Botucatu, Itapetininga e região central do estado. 

Essas empresas têm um papel importante na economia do estado e do país, empregando milhares de pessoas e gerando receita significativa. No entanto, a presença da influenza aviária pode ter um impacto devastador na indústria, levando à perda de aves e de renda para os produtores.

Para prevenir a controlada da doença, o Brasil implementou um plano de vigilância que envolve monitorar as fazendas em busca de sinais da doença e relatar quaisquer casos suspeitos ao Instituto de Manejo e Agricultura (IMA) para intervenção rápida. 

Isso é crucial para evitar que a doença se espalhe para outras fazendas e áreas próximas. Além disso, os profissionais da indústria aviária estão sendo treinados sobre medidas de biossegurança, como a limpeza e seguidos de equipamentos e instalações, o controle de acesso a fazendas e implementação de medidas de segurança pessoal, como o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Os esforços de prevenção da influenza aviária em São Paulo envolvem diversas entidades, incluindo o governo estadual, o Instituto de Manejo e Agricultura, a Associação Paulista de Avicultura (APA) e as empresas da indústria aviária. 

A Associação Paulista de Avicultura, por exemplo, tem um programa de treinamento para profissionais da indústria aviária, que inclui cursos sobre biossegurança, manejo de aves e prevenção de doenças. A associação também promove campanhas de conscientização sobre a influenza aviária e outras doenças aviárias.

Esses esforços incluem monitorar as fazendas em busca de sinais da doença, relatar casos suspeitos e capacitar os profissionais da indústria sobre medidas de biossegurança. 

Com essas medidas em vigor, espera-se que a doença seja mantida sob controle e que a indústria aviária do estado de São Paulo continue a prosperar.

Com base na suspeita da doença da gripe aviária, qualquer cidadão no Brasil pode notificar o Sistema Brasileiro de Vigilância e Emergências Veterinárias (e-Sisbravet), entrar em contato diretamente com a unidade da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) mais próxima ou por meio do telefone. 

O técnico responsável da Coordenadoria de Defesa Agropecuária fará uma análise inicial em até 12 horas. Caso a suspeita seja confirmada, será colhida uma amostra para envio aos laboratórios oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a confirmação se realmente se trata da gripe aviária.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.