Ministro da Agricultura enfatiza a necessidade dos fertilizantes na produção de alimentos

O ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro, marcou presença na abertura do 10º Congresso Brasileiro de Fertilizantes, Segundo Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX, “Os fertilizantes possuem importância crítica na escalada da produção de alimentos sustentáveis”, diz. Este esforço é parte de um ambicioso programa, liderado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, em colaboração com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco do Brasil.

“Fertilizante é sinônimo de alimentos, de emprego, de oportunidades, de crescimento e estabilidade da economia e controle inflacionário, porque afinal de contas, não se produz alimentos se não tivermos fertilizantes. Fertilizante é segurança nacional e significa paz no mundo porque onde tem comida, tem paz”, ressaltou o ministro Carlos Fávaro ao site oficial do Ministério da Agricultura e Pecuária.

O Brasil é o quarto maior produtor agrícola mundial e o maior exportador global de soja, mas, surpreendentemente, 85% dos fertilizantes usados na produção agrícola brasileira são importados.

Para mudar essa realidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recriou o Conselho Nacional de Fertilizantes e Nutrição de Plantas (Confert) em maio deste ano, visando à elaboração de políticas públicas para reduzir essa dependência.

Segundo o presidente do Confert, o ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, a dependência externa em fertilizantes custa US$ 25 bilhões por ano ao Brasil. “Para reverter essa situação, é essencial investir em pesquisa e tecnologia”, explica Carlos César Floriano.

O ministro Fávaro destaca que a recriação do Confert, sob a liderança do presidente Lula com Alckmin, evidencia a importância do tema. O Mapa e demais ministérios estão se unindo para enfrentar os desafios que levaram a essa alta dependência externa.

Além da importação de fertilizantes, mais de 90% das tecnologias usadas na indústria também vêm de fora. O Ministério da Agricultura e Pecuária e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária estão colaborando na criação do Centro de Excelência em Fertilizantes, com mais de 50 tecnologias planejadas para os próximos três anos.

Carlos César Floriano e o sistema unificado

O Mapa está trabalhando em um sistema unificado de informações para simplificar os processos de licenciamento e registros, desde a pesquisa mineral até a distribuição de fertilizantes.

Os fertilizantes são essenciais para o aumento da produção agrícola e da segurança alimentar no Brasil. Conforme informações de Carlos César Floriano, “O Mapa está buscando dobrar a área de produção agrícola nos próximos 10 anos, incorporando 40 milhões de hectares de pastagens de baixa produtividade”, elucida. Para conseguir atingir esta meta, é importante o investimento em fertilizantes, pois estes corrigem o solo e os torna mais produtivos.

O novo Plano Nacional de Fertilizantes (PNF) será lançado em novembro de 2023, abrindo novas oportunidades e competitividade para a produção nacional de fertilizantes, como parte dos esforços para alcançar a independência na área.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.