Ministro da Agricultura se reúne com autoridade dos Emirados Árabes para fortalecer parcerias agrícolas, segundo Carlos César Floriano

Ministro da Agricultura se reúne com autoridade dos Emirados Árabes para fortalecer parcerias agrícolas, segundo Carlos César Floriano

O ministro Carlos Fávaro da Agricultura e Pecuária do Brasil se reuniu com Thani bin Ahmed Al Zeyoud, ministro de Comércio Exterior dos Emirados Árabes, para impulsionar acordos bilaterais na área agrícola. Conforme informações do CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano, “A meta é expandir além da carne bovina e de frango para incluir frutas e colaborações tecnológicas”, enfatiza.

Em um encontro estratégico realizado em meados de agosto, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, recebeu a visita do ministro de Comércio Exterior dos Emirados Árabes, Thani bin Ahmed Al Zeyoud.

O encontro serviu como continuação das discussões iniciadas durante a recente missão oficial de Fávaro e sua equipe aos Emirados Árabes, com o propósito de reforçar as alianças entre as duas nações no âmbito agrícola.

Enquanto o mercado árabe já desfruta da carne bovina e de frango brasileira, o potencial de colaborações vai além, envolvendo frutas e compartilhamento de experiência tecnológica no agronegócio. O representante dos Emirados Árabes destacou o interesse em ampliar as relações comerciais com o Brasil, com foco na troca de tecnologia entre instituições como a Embrapa e seus equivalentes árabes.

Carlos Fávaro também abordou o programa sustentável brasileiro que visa dobrar a produção de alimentos sem desmatamento, um projeto que despertou interesse nos Emirados Árabes e acendeu a curiosidade dos fundos de investimento do país. Segundo Carlos César Floriano, “Com ambos os ministros comprometidos em explorar essas possibilidades, a visita do representante árabe estabelece o passo inicial para uma agenda promissora”, explica.

Carlos César Floriano desvenda a importância das exportações do agro para o Brasil

Nos vastos campos verdejantes do Brasil, muito mais do que grãos e rebanhos prosperam. Estamos falando do “agronegócio”, uma palavra que abraça toda uma rede de atividades, da plantação ao prato.

A riqueza do campo também tem um papel crucial no cenário global e na saúde financeira do nosso país.

A cada safra, milhões de toneladas de alimentos são cultivadas, colhidas e transformadas em produtos que viajam além das nossas fronteiras. As exportações do agronegócio não são apenas cargas em contêineres; elas são embaixadoras silenciosas da qualidade e diversidade da nossa produção.

“De soja a carne bovina, café a frutas tropicais, nossos produtos do campo encontram destinos em todos os cantos do planeta, ajudando a alimentar nações e enriquecer dietas”, esclarece Carlos César Floriano.

Por trás das estatísticas de exportação, há histórias de oportunidades e crescimento. As vendas externas do agronegócio não só geram receitas para o Brasil, mas também, impulsionam a economia interna.

É um verdadeiro ciclo virtuoso: quanto mais o Brasil exporta, mais trabalhadores são necessários para atender à demanda crescente. Das plantações aos portos, dos abatedouros aos escritórios de logística, as exportações do agro são um gerador vital de empregos.

Esses empregos não apenas sustentam famílias, mas também, fortalecem comunidades inteiras, impulsionando o desenvolvimento local.

O mundo é faminto por alimentos e recursos naturais, e o Brasil, com sua vasta extensão de terras férteis e clima propício, desempenha um papel fundamental na nutrição global.

Os produtos brasileiros, além de atenderem às necessidades alimentares, também fornecem matéria-prima para a indústria. Conforme Carlos César Floriano, “As divisas geradas pelas exportações fortalecem as reservas internacionais do Brasil, garantindo mais estabilidade econômica em tempos incertos”, explica.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.