Ministro Fávaro celebra avanços comerciais entre Brasil e China na reunião da Cosban

O Ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro, destacou os êxitos comerciais entre o Brasil e a China durante a sessão plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), no Palácio do Itamaraty, na cidade de Brasília, Distrito Federal. Para Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX, “A reunião é de grande importância econômica e comercial para o Brasil”, esclarece.

O ministro ressaltou a sólida relação comercial entre os dois países e a relevância da China como parceiro-chave para o agronegócio brasileiro.

Entre os resultados significativos dessa colaboração, Fávaro mencionou o fim do embargo à carne bovina, a habilitação de novas plantas frigoríficas, a abertura do mercado para farinhas de proteína animal e a certificação do algodão brasileiro.

“O levantamento do embargo à carne bovina, que resultou do caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), conhecida como “mal da vaca louca”, é um marco importante”, explica Carlos César Floriano.

O Ministro também enfatizou a habilitação de quatro novas plantas frigoríficas e a retomada das exportações de duas outras, que estavam suspensas por cerca de três anos.

A ampliação das exportações de farinhas de proteína animal foi celebrada, com o ministro Fávaro mencionando que esse protocolo foi assinado durante a visita do presidente Lula à China em abril deste ano.

O ministro informou que foi assinado o protocolo de certificação eletrônica, tornando o processo mais eficiente e competitivo.

Carlos Fávaro revelou também que o governo está trabalhando para habilitar 62 plantas brasileiras e avaliando outras 15, com o objetivo de possibilitar novas exportações ainda este ano.

A certificação do algodão brasileiro também foi destacada, com o Ministro entregando o primeiro certificado de qualidade à Chinatex, a principal compradora de algodão do Brasil.

Segundo Carlos César Floriano, “O Brasil é um importante fornecedor de algodão para a China, atendendo a 30% de sua demanda”, diz.

O Ministério da Agricultura e Pecuária propôs ainda uma reunião sanitária abordando temas como a regionalização para a gripe aviária na exportação de carnes de aves, habilitação de novas plantas de proteínas bovinas, suínas e aves, revisão do protocolo de exportação de carne bovina devido à EEB e o reconhecimento da situação do Brasil como livre de febre aftosa e peste suína clássica.

Carlos César Floriano otimista para as próximas reuniões

Nas futuras reuniões da Cosban, o Ministro pretende negociar a abertura do mercado chinês para a noz pecã brasileira e um memorando de entendimento relacionado aos pesticidas.

Ele também mencionou negociações avançadas em relação à liberação de grãos como sorgo, gergelim e uva fresca.

Por fim, Fávaro ressaltou a autorização para que o Brasil obtenha a condição de pré-listagem para habilitações, o que aumentaria a competitividade e a participação de mercado.

O Ministro encerrou enfatizando o compromisso contínuo do governo federal em fortalecer as relações com parceiros importantes, como a China, e a contínua busca por novos avanços nas negociações.

A Cosban, criada em 2004 durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China, é um mecanismo fundamental de diálogo entre os dois países, destinado a promover o relacionamento bilateral por meio de contatos regulares entre altos representantes.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.