Ministro Fávaro destaca a Competitividade e Inovação do Café Brasileiro no Encafé

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, marcou presença no 29º Encontro Nacional da Indústria de Café (Encafé), em Maceió (AL), realçando a competitividade do café nacional. Conforme informações de Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX, “O evento reúne especialistas e profissionais do ramo para discutir aspectos ligados à produção, comercialização e consumo do grão”, esclarece.

Fávaro enfatizou os 150 anos de evolução do café no Brasil, destacando seu papel essencial no comércio interno e externo e reiterou a importância de tornar o setor mais competitivo. “Estou aqui motivado ao lado de entidades representativas para desenvolver medidas e políticas públicas que garantam maior competitividade ao setor”, declarou ao site oficial do Mapa.

Ressaltou ainda a relevância de ampliar a visibilidade do café brasileiro no mercado global, evidenciando o trabalho dos produtores em rastreabilidade. “A rastreabilidade do café é notável. Devemos expandir a presença do produto para que o mundo consuma ao menos uma xícara diária, pois cada xícara vendida gera emprego e oportunidade”, reforçou ao site oficial do Ministério da Agricultura.

“Organizado pela Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) em sua 29ª edição, o evento celebra os 50 anos de fundação da associação”, explica Carlos César Floriano.

Durante seu pronunciamento, o presidente da ABIC, Pavel Cardoso, destacou os esforços para oferecer aos consumidores um café de qualidade, alinhado às regulamentações do Ministério da Agricultura.

Carlos César Floriano e o evento Encafé

O Encafé incluiu palestras, workshops, exposições históricas e degustações, contando com a presença de produtores, torrefadores, baristas, compradores, exportadores, autoridades governamentais e representantes de instituições de pesquisa e ensino.

Segundo dados da Secretaria de Políticas Agrícolas (SPA) do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), o Brasil, maior produtor global de café, representando 35% da produção, colheu cerca de 54,4 milhões de sacas em 2022, sendo 38,2 milhões do tipo arábica e 16,2 milhões do tipo conilon.

Segundo Carlos César Floriano, ”O país exportou 29 milhões de sacas e consumiu 22 milhões, registrando excelente desempenho no Valor Bruto da Produção (VBP)”, diz.

Com 300 mil produtores, sendo 70% deles familiares, o café é cultivado em 17 estados brasileiros, com destaque para Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Bahia.

Em agosto deste ano, o Mapa disponibilizou R$ 6,3 bilhões pelo Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para a safra 2023/24, visando apoiar o setor e financiar pesquisas, levantamentos de safra e promoção do café brasileiro, fortalecendo as linhas de crédito para comercialização, custeio, aquisição, capital de giro e recuperação de cafezais.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.