Carlos César Floriano parabeniza os novos instrutores do Inventário Florestal Nacional

Carlos César Floriano parabeniza instrutores

Na sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022, o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), finalizou o Curso dos novos instrutores do Inventário Florestal Nacional (IFN). Conforme o CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano, “O Treinamento foi realizado para capacitar as equipes de campo para as coletas de dados socioambientais e biofísicos”, explica.

O treinamento é ministrado por um professor certificado pela metodologia Inventário Florestal Nacional durante uma semana e inclui módulos teóricos e práticos. Humberto Mesquita, coordenador geral de inventários e informações para silvicultura, destacou a importância de capacitar os novos professores sobre o andamento da implantação do inventário: “Vamos entrar em um novo ciclo de coleta de dados do IFN em vários biomas. O plano para o Cerrado conclui a coleta e avança na Mata Atlântica e na Caatinga, além de iniciar a coleta no Pantanal”. 

A adição de novos professores é fundamental para a capacitação da equipe que percorrerá todo o território nacional e coletarão os dados diretamente da floresta. Na parte teórica, a pessoa treinada se aprofunda no método de utilização do checklist, manuais de campo e tabelas. A parte prática aconteceu no Jardim Botânico de Brasília, onde o Diretor do Serviço Florestal, Pedro Neto, e a Diretora de Desenvolvimento, Liziane Soares, visitaram os alunos e o projeto.

Liziane Soares ressaltou a importância das informações coletadas pelo Inventário Florestal Nacional para a implementação de políticas públicas no setor florestal: “Trata-se de uma investigação aprofundada, ampla e sistemática. Os dados gerados pelo IFN servem para apoiar e orientar governos e sociedade na formulação e implementação da gestão e conservação florestal e uma ferramenta inestimável para a política”, destaca. 

Além das informações socioambientais coletados por meio de entrevistas com os habitantes próximos das florestas, são abordadas todas as fases da coleta de documentos do Inventário Florestal Nacional, como planejamento do trabalho de campo, técnicas adequadas de coleta de dados biofísicos, armazenamento e destinação das amostras coletadas. 

O diretor Pedro Neto enfatizou a obrigação de entender as florestas para melhorar o uso adequado dos recursos florestais: “Fornecer informações sobre nossas florestas é a melhor maneira de avaliá-las, melhorar seu emprego e também poder financiar políticas que incentivem o uso sustentável dos recursos florestais, criando oportunidades para manter as florestas primárias”. 

Carlos César Floriano esclarece sobre o IFN

O Inventário Florestal Nacional (IFN) é uma ação ordenada pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Em todo o país, as equipes viajam para o campo para aferir as árvores, verificar a sua saúde e vitalidade, recolher porções de terra e material vegetal e muito mais. 

Seu objetivo não é apenas entender a quantidade de recursos florestais, mas também entender o estado de conservação e biodiversidade das florestas. Também foram realizadas entrevistas com habitantes que moram próximo da área de estudo para conhecer sua relação com a floresta e a utilização de recursos como frutas, cascas, madeira e bambu. Os dados coletados representam 51% do Brasil, pois, das 26 unidades da federação, em 18 a pesquisa e a coleta de dados já foram finalizadas.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.