Para Carlos César Floriano, investir no agro brasileiro é bom para os negócios e o meio ambiente

Em evento internacional realizado em 1 º de junho de 2021, o Governo Federal Brasileiro apresentou vários projetos e ações para melhorar os investimentos verdes, a logística e a conectividade no campo, o que é motivo de otimismo e novos tempos para Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX.

O Fórum de Investimentos Brasil 2021 (BIF2021), que é considerado o maior evento de investimentos estrangeiros da América Latina, é um acontecimento internacional sobre atração de investimento estrangeiro para o Brasil, organizado pela Apex-Brasil, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Governo Federal.

Na área do agronegócio do BIF, o painel ‘Os 3 I’s da Agricultura: Inovação, Infraestrutura e Instrumentos Verdes’, foram apresentadas as ações do Governo Federal nesses setores e ficou claro que o agro brasileiro está pronto para receber investimentos internacionais.

Para Carlos César Floriano, “os investidores que apostarem no agronegócio sustentável do Brasil, além de fazer bem às próprias finanças, será importante ao meio ambiente, às pessoas e à saúde”, comenta.

Atualmente existem trilhões de dólares em busca de boas alternativas de investimento, melhores retornos e riscos menores. E o agronegócio brasileiro tem resposta para isso. O mercado bancário brasileiro e de capitais está maduro e pronto para receber investidores do mundo todo. Segundo Carlos César Floriano ”o agro brasileiro necessita de US$ 100 bilhões por ano para capital de giro”.

Carlos César Floriano comenta sobre a Infraestrutura

Sem dúvida alguma, a questão logística ainda é um dos principais entraves para o setor agropecuário nacional, o que impacta na elevação dos custos de produção. Para melhorar esse cenário, atualmente existem diversos projetos em execução, como a complementação da BR-163, que vai facilitar o escoamento da produção do Centro-Oeste pela Região Norte, no chamado Arco Norte.

Conforme Carlos César Floriano “o edital de concessão rodoviária da BR-163 foi publicado em 31 de março de 2021, o que é uma oportunidade de investimento estrangeiro no Brasil”, explica.

Outras ações sobre infraestrutura no campo é o projeto de lei do Programa de Incentivo à Cabotagem, chamado ‘BR do Mar’, que vai aumentar em 40% a capacidade da frota marítima de cabotagem nos próximos três anos.

Segundo o Governo Federal, a meta é dobrar, em oito anos, o transporte de cargas por ferrovias. Uma das obras é a conclusão da Ferrovia Norte-Sul prevista para julho deste ano, permitindo conexões com a Ferrogrão, no futuro, e a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO).

Inovação

Para Carlos César Floriano “a ampliação da conectividade no campo se torna cada dia mais imprescindível”, explica. Neste sentido, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou estudo que balizará ações inéditas para ampliação da conectividade rural a partir de tecnologias de internet banda larga como o modelo satélite, cabo de fibra ótica e telecom, que inclui a nova geração 5G.

Atualmente, apenas 23% do espaço agrícola brasileiro possui algum nível de cobertura por internet e, mesmo assim, o Brasil consolidou-se como potência agroambiental no cenário mundial. O investimento em inovação tem crescido no país, levando à criação de 20 polos (universidades, think tanks, ou seja, laboratório de ideias, empresas privadas e investidores brasileiros e internacionais) e mais de 2 mil startups no agronegócio, que movimentaram US$ 200 milhões em 2019.

Além da tecnologia, o Brasil entra na era da agregação e captura de valor, priorizando tendências inovadoras no mundo como alimentos proteicos de base vegetal, carnes de laboratório, agricultura vertical, tecnologias de fermentação, dentre tantas outras opções.

Investimentos verdes segundo Carlos César Floriano

“A sustentabilidade já é um pré-requisito para os produtores rurais conseguirem recursos internacionais” segundo Carlos César Floriano, que complementa: “para melhorar o acesso ao mercado de investimentos verdes, é preciso desburocratizar o ingresso de recursos externos e acertar aspectos tributários”, explica.

Nesse sentido, foi aprovada a ‘Lei do Agro’, que simplifica e dá segurança às operações financeiras. Outra ação foi a assinatura de memorando com a Climate Bond Initiative, para aumentar a oferta de títulos verdes confiáveis pelo Brasil.

Sobre sustentabilidade, o Mapa lançou as bases para o Plano ABC+, que prevê ações para estimular a adoção de práticas e tecnologias de baixa emissão de carbono no período 2020-2030 com orientações sobre as ações de mitigação de emissão de gases de efeito estufa e sustentabilidade para consolidar uma agropecuária moderna e que atenta às necessidades ambientais do mundo atual. A intenção é que a agropecuária será, ainda mais, parceira da preservação do meio ambiente. 

Os pilares do Plano ABC+ são a produção segura e resiliente; a conservação dos recursos naturais (solo, água e biodiversidade) e a redução na emissão de gases de efeito estufa.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.