Pernambuco intensifica ações para evitar a influenza nas criações de aves

A Secretaria de Inspeção Agropecuária e Agropecuária de Pernambuco (SFA-PE) aprimora o monitoramento e o controle da avicultura comercial e nacional do estado. 

Embora a gripe aviária nunca tenha sido registrada no Brasil, produtores e responsáveis técnicos, representantes da indústria e da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe) foram informados sobre os riscos da doença e orientados a ficar o mais atentos possível às criações para evitar incidentes. 

Uma das preocupações diz respeito às propriedades localizadas no entorno das rotas de aves migratórias, tais como, cadastradas em Coroa do Avião, Ilha de Itamaracá, Região Metropolitana do Recife e Arquipélago de Fernando de Noronha. Milhares de pássaros passam por essas áreas ao longo do ano e podem interagir com espécies domesticadas. 

As fiscalizações voltadas à sanidade pecuária visitaram essas propriedades no mês de março e coletaram amostras de soro, suabes de traquéia e da cloaca para análises clínicas. 

Segundo a Agência de Defesa e Fiscalização de Pernambuco (Adagro), em todo o estado, são 12 milhões de ovos diários e 14 milhões de frangos mensalmente, com a produção ocorrendo em mais de 60 cidades no Pernambuco, o que gera cerca de 160 mil empregos.

Informações sobre a influência aviária

A influenza aviária é uma ameaça constante para a indústria avícola em todo o mundo, e o Brasil está intensificando seus esforços para preveni-la. Em 2022, a doença se espalhou rapidamente em vários países asiáticos, levando à morte de milhões de aves e afetando a produção de ovos e carne de frango.

Além disso, os representantes da Avipe destacaram a importância da prevenção e da biossegurança na avicultura, destacando que o setor é um dos mais regulamentados e fiscalizados do país. Segundo eles, há uma série de medidas preventivas que podem ser adotadas pelos produtores para minimizar o risco de contaminação por doenças, como a influenza aviária.

Entre as medidas preventivas, estão a implementação de medidas de biossegurança, como a higienização adequada dos equipamentos e das instalações, o controle do acesso de pessoas e veículos às granjas, a quarentena para a entrada de novas aves, o uso de equipamentos de proteção individual pelos trabalhadores, entre outras. Além disso, os produtores devem estar atentos aos sinais clínicos da doença e, caso suspeitem de alguma ocorrência, notificar imediatamente as autoridades sanitárias.

A gripe aviária é considerada uma doença provocada por vírus e extremamente contagiosa, afetando as aves, em especial, as domésticas e de criação, tais como, as galinhas, os patos, os perus, dentre outras. 

Embora a doença nunca tenha sido registrada no Brasil, ela pode ser transmitida por aves migratórias que passam pelo país. A doença pode causar graves prejuízos econômicos para a indústria avícola, além de representar um risco à saúde pública, pois pode ser transmitida dos animais para os seres humanos.

A intensificação das ações de monitoramento e fiscalização das criações comerciais e de subsistência de aves em Pernambuco é uma medida importante para prevenir a ocorrência de doenças na avicultura e proteger a saúde pública. 

Com a realização de reuniões com representantes do setor, os produtores e responsáveis técnicos foram sensibilizados sobre os riscos da influenza aviária e orientados para redobrar a atenção e com as suas criações.

Além disso, a fiscalização das propriedades localizadas no entorno dos sítios de rotas de aves migratórias é uma medida preventiva importante, uma vez que essas áreas representam um maior risco de contaminação. Com a coleta de amostras para testes sorológicos, é possível detectar precocemente a presença de doenças nas aves e adotar medidas para evitar sua propagação.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.