Recorde: safra 2020/21 de grãos deve superar pela primeira vez 270 milhões de toneladas

Boletim da Conab sinaliza que devem contribuir para o resultado a produção de soja e milho e o aumento da área plantada no Brasil

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou, em 8 de abril de 2021, no site oficial (www.conab.gov.br) e também em outros meios eletrônicos do governo brasileiro, como por exemplo, no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Boletim com o 7º Levantamento de Acompanhamento da Safra Brasileira de Grãos.

Desenvolvido por cerca de 80 técnicos das superintendências regionais, distribuídas em todas as Unidades da Federação, o Boletim que contém 177 páginas, apresenta a consolidação do plantio das culturas de segunda safra e início da semeadura das culturas de inverno.

As previsões iniciais de mais uma safra recorde vêm se confirmando, com um volume estimado em 273,8 milhões de toneladas, crescimento de 6,5% ou 16,8 milhões de toneladas sobre a safra anterior (2019/20). Tal crescimento é sustentado pelo aumento de 3,9% na área cultivada, totalizando 68,5 milhões de hectares e, sobretudo, pelo bom desempenho do plantio e colheita do milho e da soja.

“Em um ano tão desafiador e de incertezas mundiais em decorrência da pandemia de Covid-19, ainda assim, o agronegócio brasileiro demonstra sua força e deve bater recorde histórico de produção de grãos”, comenta Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX Agropecuária.

Alguns pontos que merecem destaque no Boletim é a produção do algodão, por exemplo, que está estimada em 6,1 milhões de toneladas de algodão em caroço, o que corresponde a 2,5 milhões de toneladas em pluma.

Já o feijão, o crescimento estimado é de 2% na produção das três safras – a primeira com a colheita praticamente concluída, a segunda em andamento e a terceira safra com o plantio previsto para a segunda quinzena de abril do corrente ano –, o que deve totalizar 3,3 milhões de toneladas.

A produção do milho está estimada em 109 milhões de toneladas, crescimento de 6,2% quando comparada com a safra anterior, o que cosolida como nova produção recorde. São produzidas 24,5 milhões de toneladas na primeira safra, 82,6 milhões na segunda e 1,8 milhão na terceira.

Maior produtor mundial de soja, a leguminosa deve apresentar produção recorde estimada em 135,5 milhões de toneladas, 10,7 milhões de toneladas ou 8,6% superior à produção da safra anterior.

Para o amendoim a produção está estimada em 595,8 mil toneladas, ou seja, 6,9% acima da safra 2019/20 e para o trigo, com a intensificação do plantio a

partir de abril, as estimativas preliminares indicam uma produção de 6,4 milhões de toneladas.

Entretanto, nem todas as avaliações são positivas. No caso do arroz, por exemplo, a estimativa é que a safra deva reduzir em 0,8% frente à safra anterior, com a produção que deve ficar em torno de 11,1 milhões de toneladas, sendo que 10,2 milhões são originarias do cultivo irrigado e 0,9 milhão de plantio de sequeiro.

Fonte de informações: Acompanhamento safra brasileira de grãos, v.8 – Safra 2020/21, n.7 – Sétimo levantamento, Brasília, p. 1-116, abril 2021 (Conab).

Website: http://vmxagro.com.br/

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.