Seminário realizado pelo Mapa apresenta programa para redução da emissão do gás carbônico

Seminário realizado pelo Mapa apresenta programa para redução da emissão do gás carbônico

Na segunda-feira, 6 de junho de 2022, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou o Programa Nacional de Cadeias Agropecuárias Descarbonizantes no Seminário de Iniciativas Descarbonizantes da Agropecuária Brasileira, realizado na cidade de Campo Grande (MS). A meta do programa, que o Mapa deve lançar nos próximos dias, é a de estimular a diminuição espontânea das emissões de gases de efeito estufa em decorrência do desenvolvimento para os produtos do agronegócio brasileiro, utilizando tecnologias sustentáveis.

Com base em três eixos, que são a captura e armazenamento de carbono, a sua mitigação e o sequestro de carbono, o Programa reconhecerá o trabalho realizado pelos produtores rurais brasileiros para garantir a sustentabilidade de seus produtos. “Se essas ações já estão estabelecidas na agricultura do Brasil, por que os produtores não podem ser pagos por isso? Por que não podemos ter a confiança dos consumidores sabendo que o produto que eles veem no mercado tem trabalho científico em todo o Brasil para subsidiá-lo?”, informou ao site do Mapa, Marcella Teixeira, coordenadora geral de produção animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Marcos Montes, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, participou da abertura do evento por videoconferência e falou sobre a importância de garantir a segurança alimentar de forma sustentável. “O Brasil é uma potência agroambiental. Com programas extremamente importantes, o Brasil é um ator fundamental nisso. Outro detalhe é a segurança alimentar, que necessita vir acompanhada de processos e projetos que consigam garantir a sustentabilidade. Estes são motivos que, por si só, demonstram a importância do evento”, disse o ministro em entrevista para o site do Mapa.

Fabiana Villa Alves, diretora de Produção Sustentável e Irrigação, também falou em nome do Ministério da Agricultura, sobre a Agenda do Metano na Agropecuária brasileira. Em 2021, o Brasil foi um dos países que assinaram o compromisso, em Glasgow, para o acordo global de redução das emissões de metano durante a COP 26.

Fernando Camargo, secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação, esclareceu que a agricultura é parte da solução, não das mudanças climáticas. “A agricultura do Brasil tem a tecnologia e o nosso Plano ABC+: agricultura de baixo carbono para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e, mais importante, retirar carbono da atmosfera e fixá-lo no solo”, disse em entrevista ao Site oficial do Mapa.

Neste seminário, presenças importantes, tais como, especialistas do setor privado, representantes da sociedade civil, produtores, acadêmicos e autoridades também prestigiaram o acontecimento.

Plano ABC+

O “Plano ABC+”, segunda fase do “Plano ABC” implementado de 2010 a 2020, obteve resultados acima do esperado, reduzindo aproximadamente em 170 milhões de toneladas de dióxido de carbono, equivalente em 52 milhões de hectares, superando os 46,5% associados à meta instituída.

Contando com evidências científicas, as atividades do “Plano ABC+” foram ampliadas para reduzir as emissões em 1,1 bilhão de toneladas de carbono até o ano de 2030, utilizando oito tecnologias, que são: restauração de pastagens degradadas, sistemas de plantio direto, sistemas integrados, plantios de florestas, sistemas de irrigação, insumos biológicos, gestão de materiais originados na produção animal e acabamento intensivo.

Veja mais notícias em nosso site.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.