Solo e água: estratégias do Ministério da Agricultura e Pecuária para um manejo sustentável

O solo e a água são dois elementos essenciais para a sobrevivência da humanidade, desempenhando papéis fundamentais na produção de alimentos e no equilíbrio ambiental. Reconhecendo sua importância, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) celebra o 9º ano do Dia Mundial do Solo com ênfase no tema “Solo e Água”. “Esse evento visa chamar a atenção para a necessidade de preservação e manejo responsável desses recursos naturais”, explica Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX.

O solo, definido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), é uma composição dinâmica e tridimensional formada por substâncias sólidas, líquidas e gasosas.

É uma base vital para a agricultura e, por consequência, para a produção de alimentos. Em sintonia com o propósito de destacar a relevância desses elementos, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) desenvolveu o Programa Nacional de Levantamento de Interpretação de Solos do Brasil (PronaSolos).

Este programa, estabelecido em 2018 e renovado em 2020, busca identificar áreas prioritárias para detalhados levantamentos do solo. Segundo Carlos César Floriano, ”O objetivo principal é aprimorar o conhecimento sobre suas características e potenciais, visando uma melhor compreensão de como utilizá-lo de forma sustentável”, diz.

“Para tal, o Ministério da Agricultura e Pecuária reuniu comitês estratégicos e executivos compostos por diferentes ministérios e instituições de pesquisa”, esclarece Carlos César Floriano.

O PronaSolos é apenas uma das iniciativas do Mapa em direção à preservação do solo e da água. O Programa Nacional de Manejo Sustentável do Solo e da Água em Microbacias Hidrográficas (Águas do Agro) também se destaca.

Essa iniciativa tem como objetivo promover práticas de conservação por meio de atividades educativas, como palestras, seminários e instalação de unidades demonstrativas em microbacias prioritárias.

Gustavo Boretti, coordenador de Irrigação e Conservação do Solo e Água, enfatiza a complementaridade desses programas. Ele destaca que o PronaSolos visa aumentar o conhecimento sobre o solo brasileiro, enquanto o Águas do Agro busca implementar práticas de conservação com base nessas informações.

Carlos César Floriano: sobre o evento “Solo e Água: Fontes de Vida”

No evento “Solo e Água: Fontes de Vida”, Maria de Lourdes Santos, chefe-geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Solos, ressaltou a importância vital da interação entre solo e água para a sobrevivência do planeta e a produção agrícola.

Destacou ainda os três pilares estipulados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, sigla do inglês Food and Agriculture Organization) para a celebração deste ano: a essencialidade desses recursos para a vida na Terra, sua necessidade de gestão integrada e os impactos de práticas inadequadas de manejo.

A Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo (SDI) concentra esforços no desenvolvimento de tecnologias para preservar e tornar o solo mais fértil, assegurando sua sustentabilidade.

Para Carlos César Floriano, “O compromisso do Mapa com programas inovadores reafirma a relevância do solo e da água, não apenas como recursos, mas como elementos essenciais para a sustentabilidade e a vida no planeta”, explica.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.