US$ 159 bilhões em vendas agrícolas ao exterior em 2022 são comentados por Carlos César Floriano

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio de sua Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI), atribuiu o aumento dos valores praticados internacionalmente à influência direta de desempenho das commodities agrícolas. “As vendas externas do agronegócio brasileiro somaram US$ 159,09 bilhões em 2022, representando um crescimento de 32% quando comparado ao ano de 2021”, explica Carlos César Floriano, CEO do Grupo VMX.

Na comparação com o ano de 2021, o índice dos valores dos itens de exportação do agronegócio aumentou 22,1% e a quantidade embarcada aumentou 8,1%. Com estes acréscimos, as exportações do agronegócio representarão 47,6% das exportações totais dos produtores e empresas brasileiras no ano de 2022.

O aumento da produção de grãos nos anos de 2021 e 2022, atingindo 271,4 milhões de toneladas, reforça o crescimento dos volumes de exportação agrícola. Segundo dados obtidos pelo Carlos César Floriano, “Milho e soja são as principais lavouras, com cerca de 113 milhões de toneladas e 126 milhões de toneladas, respectivamente”, informa.

Os principais setores que venderam os seus itens para os demais países, entre os meses de janeiro a dezembro de 2022, são: produtos do complexo soja (US$ 60,95 bilhões, ou seja, 38,3% do total exportado pelo Brasil); carnes (US$ 25,67 bilhões, 16,1% do total); produtos florestais (US$ 16,49 bilhões, 10,4% do total); grãos, farinhas e seus derivados (US$ 14,46 bilhões, 9,1% do total) e, por fim, complexos sucroalcooleiros (US$ 12,79 bilhões, 8% do total exportado).

As compras no exterior de produtos agrícolas totalizaram US$ 17,24 bilhões no ano de 2022. O resultado foi um aumento dos preços médios (crescimento de 13,8%) devido à queda dos volumes importados (diminuição em 2,4%) no período estudado.

Carlos César Floriano: dezembro de 2022

As vendas aos demais países do agronegócio totalizaram US$ 11,32 bilhões em dezembro de 2022, valor 15,4% acima das exportações em dezembro do ano de 2021, que foi de US$ 9,81 bilhões. Os preços altos também explicam a expansão, segundo a análise da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais.

Os cinco setores mais importantes quando o assunto é a venda dos produtos ao exterior são: os Cereais, farinhas e preparações (19,3% de participação nas exportações brasileiras); Complexos de soja (com 19,2% de participação); Carnes (representando 16,7% de participação); Produtos florestais (registrando 10,5% de participação); e o Açúcar e compostos alcoólicos (sendo 10,4% de participação).

O setor mais exportado foi o dos cereais, farinhas e preparações com um valor de exportação de USD 2,19 milhões (aumento de 117,9%). Conforme Carlos César Floriano, “O principal produto deste setor é o milho”, esclarece. As exportações de cereais passaram de 3,4 milhões de toneladas em dezembro de 2021 para 6,4 milhões de toneladas em dezembro do ano de 2022 (crescimento de 88%).

Apenas a China foi responsável por 33% do aumento nas exportações de milho. A comercialização com o país da Ásia foi aprovada em novembro para chegar a 1,1 milhão de toneladas já no mês de dezembro de 2022, tornando o país o maior importador do milho do Brasil. Os demais países que também mais compram os grãos brasileiros são: Irã (750,9 mil toneladas; crescimento de 41,1%); Espanha (778,3 mil toneladas; alta de 268,9%); Japão (472,9 mil toneladas; aumento de 551,6%); e Coreia do Sul (406,4 mil toneladas; mais 15,6%).

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.