Vendas no exterior de produtos agrícolas brasileiros aumentaram para US$ 9,9 bilhões no mês de fevereiro de 2023

Em fevereiro de 2023, as exportações agrícolas brasileiras foram de US$ 9,9 bilhões. Apesar da queda de 12% no índice de volume, o índice de preços de exportação subiu quase 7%.

Os seis produtos que mais se destacaram foram milho, celulose, farelo de soja, óleo e frango. No entanto, o volume exportado da soja diminuiu devido ao atraso na colheita, embora Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estime que a produção na safra 2022/2023 será recorde. 

Além disso, as vendas externas de açúcar e trigo diminuíram devido à menor disponibilidade de exportações domésticas, preocupações com a safra de trigo da Argentina e menor pressão de cana devido a problemas climáticos. 

O desenvolvimento da carne bovina também foi afetado negativamente pelos preços internacionais mais baixos e volumes de exportação mais baixos devido a uma encefalopatia espongiforme bovina atípica, conhecida popularmente como o mal da vaca louca.

No lucro acumulado do ano, as exportações agrícolas brasileiras atingiram o recorde de US$ 20,1 bilhões nos primeiros dois meses. Farelo e óleo de soja, carne de frango e suína, milho e celulose foram as exportações de maior destaque. 

As exportações de milho aumentaram para mais de 2 milhões de toneladas a uma taxa de câmbio de US$ 689 milhões devido à baixa oferta internacional e alta produção doméstica de grãos da safra atual. 

O Brasil deverá ser o maior exportador mundial de milho nesta temporada, segundo estudo recente da Conab, que prevê uma safra de milho de cerca de 125 milhões de toneladas.

Os países que mais compraram os grãos brasileiros foram o Vietnã, Japão, Argélia, Coreia do Sul e a Colômbia.

As vendas de celulose no exterior foram recorde no mês de fevereiro em valor, US$ 766, e volume, 1,6 milhão de toneladas. Os principais consumidores da celulose brasileira foram China, União Europeia e Estados Unidos. 

As vendas externas de farinha de soja chegaram a US$ 710 milhões, graças ao aumento do preço médio de exportação, que cresceu em 23%. Os importadores mais importantes foram Tailândia, Holanda, Polônia, França e Indonésia. 

A receita e o volume das vendas de óleo de soja atingiram um recorde de US$ 268 milhões em fevereiro, embora o preço médio de exportação tenha caído cerca de 16,8%. Índia e Bangladesh aumentaram suas vendas e importações em 33% (73 mil toneladas) e 25% (57 mil toneladas) do total exportado.

Além desses produtos, outros itens agrícolas brasileiros como algodão, café, laranja e suco de laranja se destacaram nas exportações de fevereiro. No entanto, o desempenho geral das exportações foi afetado pela queda nas vendas de soja, açúcar, trigo e carne bovina.

Apesar das dificuldades em alguns setores, as exportações agrícolas brasileiras foram vitais para a economia do país. No primeiro bimestre de 2023, atingiram o valor recorde de US$ 20,1 bilhões, o que mostra a importância do setor e a capacidade de produzir e comercializar produtos brasileiros.

A exportação de produtos agrícolas tem sido um dos principais pilares da economia brasileira nos últimos anos e teve um impacto significativo na balança comercial do país. O setor também tem gerado empregos e renda em diversas regiões do país, promovendo o desenvolvimento econômico e social.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente.